terça-feira, setembro 04, 2007

Poema


Sou bombeiro com paixão
Palmilhei estradas montes e valados
Nunca fiquei de braços cruzados
O fiz com força e abnegação

Socorri o rico o pobre, dei apoio
Num gesto nobre vi lágrimas de dor
Desalento horas de aflição, vi as chamas
Gente a chorar as perdas a morte
Olhos de silêncio e ternura
Mãos fortes de ajuda e amargura
Vento chuva frio e gelo solidão
De gente sofrida e sentida
Imagens de muita dor
Mas sempre presente o amor
A causa que abracei e se for caso morrerei

3 comentários:

Sophiamar disse...

É a primeira vez que por aqui passo. Gostei do teu poema.Pelos bombeiros tenho o maior respeito e consideração.
Beijinhos

Agulheta disse...

Amiga Sophiamar. Obrigada pelo comentário,e pela consideração pelos mesmos,neste blog só tenho falado de Bombeiros e pouco até agora,espero escrever mais nele,pois como tenho outros blogs.na sapo onde sempre publico algo,já agora passa lá e depois dá atua opinião http://maripossa.blogs.sapo.pt
beijinho de amizade e boa semana

Anónimo disse...

Este poema está muito fixe mesmo..

Tenho muita consideração pelos bombeiros!

Abraço.